Sistema municipal de museus: impactos socioeconômicos da conexão entre a cultura e o turismo em Foz do Iguaçu

Autores

DOI:

https://doi.org/10.5281/zenodo.10700628%20

Palavras-chave:

Política pública de cultura, Direito à cidade, Desenvolvimento, Sistema Municipal de Museu

Resumo

Este artigo pretende investigar os impactos socioeconômicos que a criação de um Sistema Municipal de Museus em Foz do Iguaçu pode resultar. Mediante a metodologia da geografia crítica de Milton Santos (1971, 1987, 1988, 2003, 2009), propomos uma compreensão de desenvolvimento que envolva a cultura como elemento de afirmação e transformação da vida humana, assim como, a acessibilidade de equipamentos culturais pela população. Neste sentido, pautamos a necessidade de uma política pública de cultura que contemple a criação de um roteiro com pelo menos 3 museus, e, selecionamos 5 museus de diferentes cidades do país para comparar o potencial de visitação e impacto na cadeia turística de Foz do Iguaçu.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Markson Rangel Silva, UNILA/Mestrando em Economia

Mestrando em Economia Aplicada na Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Graduado em Relações Internacionais e Integração pela UNILA. Militante na área da cultura. 

Gilson Batista de Oliveira, UNILA/Professsor

Pós-doutorando em Planejamento e Governança Pública, linha de pesquisa em Governança Pública e Desenvolvimento, na Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR (2023 - 2024). Doutor em Desenvolvimento Econômico (UFPR, 2010). Professor da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), onde atua no Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Desenvolvimento (PPGPPD) e no Programa de Pós-Graduação em Economia (PPGE). Líder do Grupo de Pesquisa em Desenvolvimento Regional e Integração Latino-Americana (DRILA - UNILA) e membro do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Racionalidades, Desenvolvimento e Fronteiras (GIRA - UNILA) e do Grupo de Pesquisa em Gestão Pública e Desenvolvimento (UTFPR) . 

Referências

BRASIL. Lei nº 11.904, e 14 de janeiro de 2009. Institui o Estatuto de Museus e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, 15 jan. 2009. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Lei/L11904.htm. Acesso em: 14/08/2023.

CAMPOS JUNIOR, Ricardo Correia. Teoria dos polos de desenvolvimento e geografia crítica: uma aproximação das contribuições de Milton Santos. 2015. 69 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geografia) – Universidade Federal da Integração Latino-Americana, Foz do Iguaçu, 2015.

COSTA, Frederico Lustosa. Cultura e Desenvolvimento: Referências para o Planejamento Regional. O Público e o privado - Nº 12 - Julho/dezembro – 2008.

CODEFOZ. Plano de Desenvolvimento Econômico de Foz do Iguaçu: Diagnóstico, 2014.

DALLABRIDA, Valdir Roque. Economia, Cultura e Desenvolvimento: uma primeira aproximação sobre as origens teóricas da abordagem do tema. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional. Taubaté, v. 7, n. 2, p. 282-299, mai-ago, 2011.

DESTINO IGUAÇU. Boletim de Análise de Fluxo de visitantes, 2023.

FARIAS, Anna Carolina Monéia. Gramsci E Clausewitz: Um Diálogo Sobre Guerra, Guerra De Posição E Guerra De Movimento. Rev. Práxis e Heg Popular. Marília, SP v.6 n. 8 p. 211-223 Jun/2021 .

FONSECA, Maria Cecília Londres. Referências Culturais: base para novas políticas de patrimônio. Rio de Janeiro: Repositório do Conhecimento do IPEA, 2003.

FREIRE, Paulo. Educação e Mudança. Rio de Janeiro: Editora Paz e Terra, 12ª edição, 1979;

GIL, Gilberto. Uma Nova Política Cultural para o Brasil. Revista Rio de Janeiro, n. 15, jan.-abr, 2005.

GONZALEZ, Lélia. A categoria político-cultural de amefricanidade. In: Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro, Nº. 92/93 (jan./jun) p. 69-82, 1988.

IBRAM. Avaliação do Impacto Socioeconômico de Museus no Brasil: um Estudo Exploratório, Brasília, 2022.

_______. Museus em Números, Brasília, 2011.

_______. Resultados o Formulário de Visitação Anual, Brasília, 2020.

_______. Museus e a dimensão econômica: da cadeia produtiva à gestão sustentável, Brasília 2014.

_______. Caderno da Política Nacional de Educação Museal, Brasília, 2018.

IPHAN. Educação Patrimonial: Histórico, Conceitos e Processos, 2014.

MACHADO, Lia Osório. Limites, Fronteiras, Redes. in T.M.Strohaecker, A.Damiani, N.O.Schaffer, N.Bauth, V.S.Dutra (org.). Fronteiras e Espaço Global, AGB-Porto Alegre, Porto Alegre, 1998, p.41-49.

MOREIRA et al, José César Pontes. A Seara da Ciência da UFC, estimulando a curiosidade pela ciência, como espaço de educação não-formal. Conjecturas, vol. 22, Nº 12, 2022.

PARANÁ TURISMO. Turismo em Números, Curitiba, 2018.

SANTOS, Milton. O Espaço do Cidadão. São Paulo: Nobel, 1987.

_____________. Por uma Economia Política da Cidade: O Caso de São Paulo, 2ª edição, São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2009.

_____________. Economia Espacial: Críticas e Alternativas, 2ª edição. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2003.

_____________. Espaço e Método. São Paulo: Nobel, 1988.

SILVA, Jorge Antonio Santos. Turismo, Crescimento e Desenvolvimento: Uma Análise Urbano-Regional Baseada Em Cluster, Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Artes/USP, v. 1 e v.2, 2004.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO. Políticas Públicas em Dez Passos, Brasília, 2021.

Downloads

Publicado

2024

Como Citar

SILVA, M. R.; OLIVEIRA, G. B. de. Sistema municipal de museus: impactos socioeconômicos da conexão entre a cultura e o turismo em Foz do Iguaçu. Cadernos de InterPesquisas, [S. l.], v. 2, p. 89–117, 2024. DOI: 10.5281/zenodo.10700628 . Disponível em: https://esabere.com/index.php/cadips/article/view/90. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

Textos